Família nega surto de policial morto em shopping de Itaboraí – Banca.com

Visualizações 2 Segundo a família, houve negligência já que os agentes não chamaram o socorro de imediato, ainda afirmam que Edison não tinha nenhum problema psicológico, que era mecânico...
Segundo a família, houve negligência já que os agentes não chamaram o socorro de imediato, ainda afirmam que Edison não tinha nenhum problema psicológico, que era mecânico de aeronave do grupamento aeromarítimo (GAM)

Um policial do Grupo Aeromóvel (GAM) da PM foi baleado e morto por outros agentes da Polícia Militar, no estacionamento do Itaboraí Plaza Shopping, na noite dessa segunda-feira (26).

De acordo com a polícia, PMs pelo Regime Adicional de Serviço (RAS) no 35ºBPM (Itaboraí) foram deslocados para verificar possível confronto no interior de um Shopping no bairro de Três Pontes. Chegando ao local, a equipe não constatou o fato, mas foram acionados novamente e orientados a verificarem no estacionamento, nos fundos do Shopping. Lá, segundos os agentes, foram recebidos com tiros e revidaram.

Mas, segundo a família de Edison Crócamo, o relato dos agentes não condiz com a realidade. A família afirmou que o policial percebeu a presença de indivíduos armados na entrada do Shopping, pediu apoio e foi para os fundos, no estacionamento, aguardar a chegada do reforço. Em seguida, chegaram dois policiais e subiram a escada no escuro, sem se identificarem. Edison teria visto as pessoas subindo, mas sem saber quem eram e pressupondo que poderiam ser bandidos, deu cinco tiros para cima.

Nesse momento, os policiais teriam disparado mais de 20 vezes, segundo a família da vítima, com pistolas e fuzil, mesmo sabendo que poderia ter um policial no estacionamento. Um dos tiros pegou na perna de Edison, na veia femoral, que leva sangue ao coração. Esse ferimento, se profundo, pode matar uma pessoa em até 20 minutos.

Também segundo a família, os agentes não chamaram o socorro, mesmo após verificar que era um policial ferido. Edison só foi socorrido pelo sobrinho, também policial, para o Hospital Municipal Desembargador Leal Junior, mais de meia hora após ser baleado. Ele morreu aos 50 anos, faltando três meses para se aposentar.

O caso gerou grande revolta entre a família do PM, que afirma que Edison não tinha nenhum problema psicológico, como afirmaram os agentes, era muito querido entre colegas e amigos, além de ser uma pessoa bem humorada e prestativa. O policial será sepultado no Memorial Parque Nycteroy, às 17h desta terça-feira (27), no Laranjal, em São Gonçalo.

Em nota enviada à imprensa, a polícia militar afirma que os agentes envolvidos na ocorrência foram ouvidos pela 4ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar. E que a Corregedoria Geral da Polícia Militar instaurou procedimento apuratório para verificar as circunstâncias da ocorrência. O caso foi encaminhado à Divisão de Homicídios (DH) de Niterói e São Gonçalo.

 — em Itaboraí.

Categorias
DestaquePolícia
Sem Comentários

Deixe uma resposta

Tempo
Horóscopo
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

POSTS RELACIONADOS