Conecte-se conosco

Política

Moro diz que continua no governo Bolsonaro: “Segundo Dia do Fico” – Banca.com

ADMINISTRADOR

Publicado

em

O ministro Sergio Moro assegurou, nesta segunda-feira (27/01/2020), que a questão em torno da divisão de sua pasta – da Justiça e Segurança Pública – em duas está “pacificada”. Em entrevista ao programa Pânico, da Rádio Jovem Pan, Moro revelou que o desgaste que esse tema gerou entre ele e o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), foi resolvido após uma conversa entre ambos e que permanece no governo. Ele brincou: “Vai ser o segundo Dia do Fico”.

Na semana passada, Bolsonaro cogitou desmembrar a pasta e adiantou que “Moro não iria gostar”. Depois, recuou e afirmou que, “no momento”, a chance de isso acontecer “é zero”. Aliados do ministro viram na postura do presidente a chama alta do processo de “fritura” de seu auxiliar mais popular, que, inclusive, tem bastante potencial para ser candidato ao Planalto em 2022.

Mas, durante o programa, Moro frisou que não irá concorrer à Presidência nas eleições de 2022. “Já falei um milhão de vezes. Vou tatuar na testa. Em 2022, o presidente apontou que pretende reeleição. Eu sou ministro do governo e vou apoiá-lo. Tem uma questão de lealdade de estar lá”, resumiu.

O ministro continuou: “Uma coisa é um despacho por meio eletrônico, outra é todo o processo. No norte do país, tem comarca que fica a mais de 300 quilômetros de distância uma da outra. Isso [rodízio] precisa ser mais ponderado, mais pensado. O Congresso, se quiser mudar isso, tem que aprovar uma nova lei”, defendeu.

O rodízio de juízes determina que cada processo penal seja acompanhado por dois juízes: o juiz de garantias, que atua apenas na fase da investigação criminal, e, a partir do recebimento da denúncia, o processo fica a cargo de outro magistrado.

Moro comentou as mudanças no texto original do pacote anticrime. “Inseriram algumas questões que não são da minha concordância. Eu discordo de algumas coisas, mas acredito que são contornáveis pela interpretação do juiz. Os juízes vão ter que contornar, não tem nada tão comprometedor”, finalizou.

Lula
Moro também reclamou da não execução da pena após decisão de segunda instância. A crítica veio ao comentar a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“O correto era sair após ter cumprido toda a pena dele. Eu vou ajudar o Congresso a aprovar o projeto de lei da execução da pena em segunda instância. Isso é algo que transcende o Lula”, ressaltou.

 

Destaque

Dimas apresenta propostas na área de saúde (São Gonçalo) – Banca.com

ADMINISTRADOR

Publicado

em

Dimas Gadelha, candidato da coligação ‘São Gonçalo Pode Mais’ realizou caminhadas pela cidade e apresentou aos eleitores seu plano de governo que prioriza ações na área de saúde, entre outras. Os bairros Boaçu e Água Mineral foram visitados por Dimas e sua equipe.

“Entre as metas na área da saúde está o ‘Saúde na palma da mão que vai possibilitar o gonçalense agendar seu atendimento via aplicativo de celular ou em terminais que vamos instalar nos equipamentos públicos. Vamos buscar recursos para criar os Hospitais do Câncer, do Idoso e do Coração, que são áreas com muita precariedade dos serviços em São Gonçalo. As clínicas de família também serão ampliadas, pois elas podem ser bastante resolutivas, aumentando também os serviços oferecidos com raio X, ultrassonografia, salas de procedimentos, e outros que possibilitem os diversos atendimentos de saúde. Muita gente procura o pronto socorro para atendimentos que não são de urgência e emergência. Esse atendimento das clínicas da família precisa de horário ampliado”, declarou o candidato.

AGENDA- QUARTA-FEIRA- 8h30- Entrevista; 9h- Carreata no bairro Boa Vista; Às 14h participa de uma Live e tem uma série de encontros com candidatos da coligação que reúne PT, PDT, Pros, Rede e Podemos.

Continue lendo

Política

Cresce 60% o número de cidades com mais eleitores que habitantes (Brasil) – Banca.com

ADMINISTRADOR

Publicado

em

O número de municípios com mais eleitores que habitantes aumentou na comparação com o cenário visto nas eleições de 2018. Segundo levantamento feito pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), desta vez são 493, 8,8% das cidades brasileiras. Em 2018, quando 308 cidades do Brasil registraram essa inversão, o aumento foi de 60%.

O estudo foi feito a partir do cruzamento de dados da base de eleitores do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com a população oficial calculada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estado com o maior número em termos percentuais é Goiás (22,76%), seguido do Rio Grande do Norte (17,9%) e da Paraíba (14,8%).

Proporcionalmente, a cidade que lidera a lista nacional de municípios com mais eleitores do que habitantes é Severiano Melo (RN). Lá, segundo estimativa do IBGE, são 2.088 habitantes, já os dados do TSE apontam 6.482 eleitores aptos a votar, o número é três vezes maior que a quantidade de habitantes.

Em números absolutos, na liderança da lista nacional de municípios com mais eleitores que habitantes está o município pernambucano de Cumaru,no Agreste do estado. Segundo o IBGE, ele possui 10.192 moradores, já o TSE aponta que há na cidade 15. 335 cidadãos aptos a votar este ano.

Justificativa

A diferença, segundo o consultor da área técnica, da CNM, Eduardo Stranz, pode ser justificada por desatualizações nas estimativas de população feitas pelo IBGE, fraudes e , especialmente, por questões afetivas. “Existe uma ligação muito grande das pessoas com as cidades onde elas nasceram, sobretudo nesses municípios pequenos. Elas migram para cidades maiores, regiões metropolitanas ou cidades-pólo em busca de emprego ou estudo, mas não transferem seus títulos eleitorais, isso é muito comum”, avaliou.

Stranz, que há mais de 30 anos trabalha com municípios, lembrou ainda que em cidades menores a disputa política é muito acirrada e as pessoas nascidas nessas localidades têm sempre algum grau de parentesco com os candidatos o que, segundo ele, também contribui para que elas não transfiram seus títulos.

Dados IBGE

Outro ponto que deve ser levado em conta é a defasagem nos dados sobre a população brasileira. “Isso está mais evidente agora, em 2015. Segundo o Plano Nacional de Estatística, o IBGE teria que ter feito uma contagem populacional para ajustar a fórmula que calcula essa estimativa, mas isso não aconteceu sob o argumento de falta de verba”, explicou o especialista.

O Brasil adota uma das seis fórmulas utilizadas no mundo para estimar a população . A equação, que projeta o número de habitantes a partir de dados do Censo Demográfico, tem eficiência por quatro anos, no quinto ano, é preciso recontar a população para ajustar a fórmula. “Como não foi feito isso, as populações estimadas a partir de 2015 têm tendência mais ao erro que acerto. Isso também pode ser importante nessa diferença”, destacou Eduardo Stranz.

Fraudes

Questionado se o número maior de eleitores em relação aos habitantes em determinadas cidades não pode significar fraude, o consultor disse que sim, mas que casos de curral eleitoral são pontuais. “Hoje em dia isso é cada vez menos comum. As pessoas têm muito mais acesso à informação, discussão política. Olhando o perfil dessas cidades, fica mais evidente a ligação das pessoas com sua terra natal.

Revisão

Nos casos em que há muita discrepância entre eleitores e habitantes ou que há um aumento da transferência de domicílios, a Resolução 22.586/2007, do TSE, determina que seja feita uma revisão do eleitorado sempre que for constatado que o número de eleitores é maior que 80% da população, que o número de transferências de domicílio eleitoral for 10% maior que no ano anterior, e que o eleitorado for superior ao dobro da população entre 10 e 15 anos, somada à maior de 70 anos no município. EBC

Continue lendo

Política

Dimas visita bairros e fala sobre Cultura (São Gonçalo) – Banca.com

ADMINISTRADOR

Publicado

em

O domingo foi de muita caminhada e conversas sobre o futuro de São Gonçalo para Dimas Gadelha, o candidato a prefeito da coligação ‘São Gonçalo Pode Mais’ que esteve nos bairros Trindade, Porto da Pedra e Praia das Pedrinhas.
“Cada vez que eu estou na Trindade, local onde cheguei aos 13 anos para morar com meus avós em busca do meu sonho de estudar medicina, eu vejo como a cidade mudou pouco de lá pra cá. Somos mais moradores, mas temos menos qualidade de vida e a cultura não tem espaço para tantos artistas locais como poderia. Em pleno domingo, as famílias gonçalenses não encontram opções culturais ou de lazer e vamos tratar também deste tema”, afirmou Dimas.

Dimas passou também pela Praia das Pedrinhas onde pretende implantar um projeto pioneiro de turismo e lazer.

“A Praia das Pedrinhas é sem dúvidas um dos nossos mais belos cartões postais, mas está abandonada e sem nenhum projeto de valorização que sirva para movimentar a cultura, além do lazer e do desenvolvimento econômico. Vamos fazer ali um espaço adequado para as famílias gonçalenses. Também quero criar festivais de cultura que podem ser desenvolvidos nos espaços públicos da cidade”, explicou Dimas, acrescentando que nesta segunda, 26 será entrevistado pelo Fórum Gonçalense de Cultura. A live será transmitida ao vivo, a partir das 21h na página do Facebook do grupo: facebook/forumgoncalensedecultura

AGENDA- SEGUNDA (26)- Almoço em uma empresa local ao meio-dia. A tarde reuniões com candidatos da coligação ‘São Gonçalo Pode Mais’ que reúne PT, PDT, Rede, Pros e Podemos. A noite tem reuniões com candidatos e também entrevista na Live do Fórum Gonçalense de Cultura.

Continue lendo

Mais Lidas

Copyright © 2019 Portal de Notícias - Coisas incríveis no mundo dos negócios nunca são feitas por uma única pessoa, e sim por uma equipe - Todos Direitos Reservados.